AudioAtivo

WEBRADIO da Escola de Comunicação da UFRJ

Escola de Comunicação aponta falhas em reportagem de O Globo

Tamanho da letra


A Escola de Comunicação da UFRJ apoiou manifestação contrária à matéria publicada no jornal O Globo, dia 11/07/2010, que questionava a infra-estrutura de ensino prestada pela universidade. Carta enviada pela Profª. Drª. Leda R. Castilho da COPPE/UFRJ comenta surpresa e indignação ao ler a reportagem “Ensino superior, mas nem tanto”.

Dados fornecidos pela Associação dos Docentes da UFRJ (Adufrj) ao jornal revelavam queda do percentual de orçamento do MEC em relação ao PIB, de 1,1% em 2003 para 1,04% em 2009. Com base no Ministério da Educação, O Globo mostra ainda que o investimento público direto em educação por estudante na educação superior caiu de R$ 15.341 em 2000 para R$ 14.763 em 2008.

“Considerando que as universidades federais agora atendem ao dobro do número de alunos [comparação 2008 ante 2003], com manutenção do valor por aluno investido pelo MEC (alteração de apenas 3,8%, de R$ 15.341 para R$ 14.763), chega-se a uma conclusão diferente daquela sugerida pela matéria: levando-se em conta o ganho de escala, certamente as condições de financiamento hoje são melhores do que antes”, rebate a professora Leda Castilho, da Coppe

Outro ponto citado na matéria de O Globo se refere à estrutura de equipamentos. Segundo a matéria, seis das 12 câmeras fotográficas estão quebradas na Escola de Comunicação: “Não sabemos quais as fontes dessas informações, a matéria não informa, por exemplo, que as câmeras estão em manutenção”, pondera Ivana Bentes, diretora da ECO/UFRJ, acrescentando que “são mostrados (com uma foto inclusive ) pequenos sacos de cimento empilhados, informando que são ‘para obra de prédio’ da CPM2, outra informação errônea, pois são simplesmente sobras de um pequeno reparo no espaço de convivência ao lado da CPM. A Direção da ECO, a Coordenação da CPM, a direção administrativa, seus professores e técnicos não foram ouvidos. As informações mínimas sobre a ECO não foram checadas”

As obras da CPM2 estão suspensas após análise do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, já que a área está nas imediações do Palácio Universitário, um bem tombado. Recentemente, a universidade assinou um termo de ajuste de conduta com o IPHAN e o Ministério Público Federal, se compromentendo com um plano plurianual de reforma do Palácio, que ocorre por alas. Nesse caso, as obras estão em andamento. Uma solução é aguardada para o anexo da Central de Produção Multimídia. Segundo a direção da ECO, já há verbas disponíveis para os trabalhos.

- Não espero ver o anexo da Central de Produção Multimídia pronto antes de me formar – disse Kenzo Soares, aluno do 3º período de comunicação, ao O Globo

Pablo César Benetti, presidente da Comissão do Plano Diretor da UFRJ, afirmou, na matéria publicada, que a UFRJ recebeu para o biênio 2009-2010, 117 milhões de reais para investir em obras e equipamentos, incluindo laboratórios didáticos de informática, compra de veículos para ronda e mobiliário. Benetti ainda disse:

- Os alunos terem aula no Fundão não é problema. Eles podem consultar bibliotecas na Praia Vermelha e no Centro. A universidade não é uma unidade isolada.

A declaração foi confrontada na reportagem com a do aluno Tomaz Soares, da primeira turma de Relações Internacionais. Ele fez vestibular achando que teria aulas no campus da Praia Vermelha. Dias antes do início do período, descobriu que as aulas seriam numa sala do Centro de Ciências da Saúde, no Fundão. No começo deste ano, Tomaz começou a ter aulas no Centro:

- Esperava uma faculdade de excelência, mas parece que a UFRJ vive mais de nome, comenta o aluno.

Segundo Leda Castillo, matérias negativas sobre a UFRJ se repetem ao longo dos anos próximo à inscrição no vestibular:

“Por que o jornal não publica matérias extensas sobre a UFRJ também em outras épocas do ano? Por que o jornal não relata a preferência do mercado de trabalho por profissionais formados na UFRJ? O MEC e a UFRJ estão tomando ações concretas com o objetivo de que nossa universidade continue oferecendo um ensino de alto padrão, a um número ainda maior de brasileiros. O campus da Ilha do Fundão está passando por uma revolução que o transformará, ao longo da década que ora se inicia, em uma cidade universitária de dar inveja às universidades dos países mais ricos. Nenhuma decisão de aumento de vagas foi tomada de forma irresponsável. A contratação, somente em 2010, de 500 novos professores, e o aumento em cerca de 10 vezes (de 3,6 para 34,6 milhões de reais), entre 2003 e 2008, das verbas de investimento repassadas pelo governo federal à UFRJ, são uma prova disso” , comenta a professora da Coppe

Segundo a diretora Ivana Bentes da ECO/UFRJ, entre 2009 e 2010, a unidade recebeu 20 vagas para novos Concursos Públicos Permanentes; mais 9 estão por vir:

“…que resolvem problemas estruturais da Escola, além de outros investimentos em equipamentos, obras, no Salão Vianninha, etc. Uma matéria como essa [do O Globo] fere o que entendemos como um jornalismo crítico, não editorializado, com fontes diversas, que mostra os “dois” lados (e os diferentes lados) da questão. Não é esse o jornalismo ensinado na Escola de Comunicação da UFRJ”

Violência

O jornal O Globo relata que, em 2009, houve, no Fundão, 30 casos de furto, 11 de roubo, um estupro e dois seqüestros relâmpago. Com a mesma extensão de Ipanema e Leblon, o campus conta só com quatro carros da PM, além de seis veículos e 70 vigilantes da universidade. Já os bairros citados da Zona Sul recebem 100 policiais militares

“O campus da Ilha do Fundão tem fluxo diário de pessoas aproximadamente igual ao dobro da população da Cidade de Deus e área ocupada similar à de Ipanema e Leblon juntos. Se os índices de criminalidade mencionados na matéria forem comparados àqueles registrados nestes dois nobres bairros da cidade, certamente a conclusão será de que é mais seguro transitar pelo Fundão do que por Ipanema. Por que não fazer uma matéria levantando estes dados?”, pondera a professora Leda Castillo.

Por Filipe Macon, audioativo.com

tags relacionadas: ,
Dê sua nota
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading ... Loading ...

2 comentários

  1. Filipe,
    Excelente matéria. Parabéns!

  2. Você é um maravilhoso jornalista!!! e uma maravilhosa pessoa também!

Comente este conteúdo!

Antes de serem publicados, todos os comentários passam pela moderação da equipe AudioAtivo.